Pêra Portuguesa

.

Pyrus communis L.

Originária de Sintra, mais precisamente na Ribeira de Sintra na Terra da Rocha, no Brasil é conhecida como pera-portuguesa, mas na terrinha é chamada de pera rocha. Em 1836, com origem numa árvore obtida por semente ocasional, foi identificada uma pereira diferente, na propriedade terra da Rocha de Pedro António Rocha, cujos frutos eram de uma qualidade ímpar. Esta pera passou a ter a denominação de Pera Rocha do Oeste.

De polpa macia, suculenta e docinha, com um perfume ligeiramente acentuado e casca amarela, a pera portuguesa é muito usada na fabricação de compotas, saladas e in natura. Faz uma combinação perfeita com queijos de sabor intenso, como gorgonzola e brie.

Ao natural, o ideal é consumir a pera com a casca, depois de bem lavada, pois nela que se concentra a maior parte dos nutrientes.

Deixando o sabor de lado, importante dizer que a fruta ajuda na perda de peso, melhora a digestão,  a saúde do coração, a regular os níveis de fluidos do corpo, na redução da pressão arterial, no aumento da capacidade cognitiva, promove a cicatrização de feridas, além de estimular o sistema imunológico, melhorar a circulação, proteger contra a osteoporose, garantindo uma pele mais saudável, assim como olhos e cabelos.

Além do sabor doce, a pera portuguesa também se diferencia pela grande quantidade de antioxidantes naturais, que exercem proteção com tumores e cânceres, pois reduzem os radicais livres e evitam a oxidação das moléculas virais.

A pera portuguesa, também é conhecida como pera roxa, tem casca firme, amarelada, com manchas beges que começam na base do pedúnculo. Sua polpa é doce, consumida macia ou firme na textura de uma maçã.

Cor: o verde, o amarelo, o castanho e o vermelho.

A pêra é rica em provitamina A ou betacaroteno. contém fibras, lipídios, vitamina C e ácido fólico.