Melão Pele de Sapo

.

O nome desta variedade faz jus à sua aparência: ovalado, este melão tem casca verde-escura e rajada. Por dentro, é branco e de polpa doce. Embora não seja perfumado, seu sabor agrada tanto ao natural quanto em receitas. A chef Rita Atrib gosta de usá-lo em drinques, sorbets e no recheio de massas.

O melão emagrece, é diurético, depurativo e ligeiramente laxante, sendo por isso recomendado para casos de obstipação. As pessoas que sofrem de gota, reumatismo e patologias renais devem incluir melão nas suas dietas. Por causa do teor em minerais, o consumo de melão é recomendado para períodos de convalescência, anemias e em estados de debilidade.

Consistência firme, alongado pele rugosa e lieiramente reticulada; Polpa esverdeada. Cortar sagitalmente e verificar o sabor; Verificar maturação batendo com os dedos: som oco, significa estar verde;

É um fruto muito refrescante, ideal para acalmar a sede. Além disso, neutraliza o excesso de acidez produzido pelo consumo abundante de carne e seus derivados e de álcool. A sua riqueza em potássio e o seu baixo teor em sódio e gorduras, tornam o melão muito adequado para as pessoas que sofrem de hipertensão arterial.

Está contra-indicado para diabéticos, enteríticos (a enterite é a inflamação do intestino, geralmente acompanhada de diarreia) e aos dispépticos (dispepsia é a digestão difícil). Para algumas pessoas os melões podem ser indigestos, pelo que se recomenda o seu consumo moderado.

O melão possui um elevado teor em potássio e magnésio e é uma fonte importante de betacaroteno, e de provitamina A, vitamina C e hidratos de carbono (principalmente sacarose).

A maioria dos melões consomem-se crus, em saladas de fruta ou em diversas sobremesas.

Pode-se congelar porções de melão, mas a sua textura irá ficar menos atractiva que em fresco, ao mesmo tempo que se podem perder algumas vitaminas.

A quantidade de carotenóides protectores no melão depende da intensidade do pigmento alaranjado na polpa