Mangostin

.

Mangostana garcinia Gaertn.

O mangostim (português brasileiro) ou mangostão (português europeu) (pronúncia em português: (Garcinia mangostana L.; Clusiaceae, ex-Gutiferae ou Hypericaceae) é uma fruta proveniente de uma árvore frutífera tropical de mesmo nome. Foi descrito pela primeira vez no livro Species Plantarum de Linnaeus em 1753. O mangostim começou a ser cultivado com mais frequência a partir de 1855

O mangostin é fruto de uma árvore perene. Desconhece-se a sua origem exacta, mas são provavelmente asiáticas. A casca é coriácea, de cor púrpura. É do tamanho de uma pequena maçã. Tem normalmente cinco caroços e cada um está envolvido numa polpa branca, doce e sumarenta. O seu sabor é muito próprio e agradável.

Esférico, vermelho a castanho-escuro, manchado de amarelo. Polpa mole, suculenta, de sabor delicado e muito característico que envolve sementes oleaginosas.
 

Fonte de minerais, como ferro, potássio, fósforo, cálcio, manganês, zinco e cobre, o mangostão também é rico em vitaminas do complexo B (B6 e B12), vitamina C e vitamina A.

As vantagens nutricionais não param por aí, levando-se em conta que a fruta também detêm grandes quantidades de fibras, proteínas, carboidratos e água.