Endívia

.

Endívia (Cichorium endivia) é uma verdura da família Asteraceae, e do gênero das chicórias, que inclui vários vegetais semelhantes com folhas levemente amargas e crocantes.

Endívia é, também, um dos nomes conhecidos para alguns tipos de chicória-comum (Cichorium intybus), nomeadamente a chicória-belga ou chicória-francesa. Existe considerável confusão entre as designações vulgares de Cichorium endivia e Cichorium intybus. A endívia consumida no Brasil pertence à espécie Cichorium intybus.

O vegetal se apresenta como um conjunto de folhas superpostas umas às outras, como no repolho, mas com formato comprido e fino, como uma espiga de milho. Nas folhas, as pontas possuem cor amarelo-claro ou roxa, a depender do tipo de produto. O miolo é predominantemente branco.

O vegetal pode ser consumido cru, refogado, cozido no vapor ou assado; sendo acomodado em receitas salgadas e doces, quentes ou frias. Combinada com azeite de oliva, alho, queijos cremosos, tomate seco ou frutas, a delicada folha acrescenta requinte às entradas, saladas e pratos principais.

Países como França, Bélgica e Países Baixos há muito adotam o vegetal em sua culinária.

Nomes populares: chicória, chicarola, endiva, endívia, escarola, zichorie (alemão), endive e chicorée (francês), chicory e endive (inglês), witlof (holandês).

O nome em holandês é andijve, witlof é Chichorium intybus var. foliosum

Os egípcios, gregos e romanos já conheciam a chicória selvagem como remédio para algumas doenças. Não obstante, na literatura egípcia, existem referências ao consumo desta verdura tanto cozida como crua em saladas. A sua introdução na Europa data do século XIII.

Em 1843 um camponês belga reparou que das raízes da chicória selvagem, deixadas na terra e ao abrigo da luz, despontavam uns rebentos compridos, brancos, adocicados e de textura muito agradável. Deu-lhes o nome de witloof, que em flamengo significa folha branca.

Deve-se, porém, à Brézier, botânico belga, não só a sua melhoria como a normalização da sua cultura.

Na Europa, ficou popular durante a Primeira Guerra Mundial, quando muitas pessoas eram impedidas de trabalhar livremente a céu aberto devido aos ataques aéreos. A endívia passou, então, a ser cultivada no escuro, protegida em cavas, estufas e até em estábulos, exercendo grande importância na economia e subsistência de muitos vilarejos e camponeses da época.

Hoje, na Europa, o vegetal é cultivado sobretudo no Norte da França e na Bélgica, tidos como países de culinária refinada, onde consideram a verdura símbolo do país, representando um traço de união entre flamengos e valões.

 

A endívia absorve o colesterol na corrente sanguínea e remove toxinas do sistema digestivo

Ao se consumir aproximadamente 50g de endívia duas vezes por semana, em saladas cruas, há redução de até 75% do risco em adquirir câncer de ovário e do colo do útero.

Endívia age como antioxidante, eliminando os radicais livres, e contém selênio, que retarda as células do envelhecimento precoce.

Muito versáteis, as endívias podem ser consumidas cruas, refogadas, cozidas no vapor ou assadas. Apesar de levemente amargas, têm sabor refrescante e são muito apreciadas principalmente na culinária europeia.

Antes de usar, remova as folhas externas que porventura estejam murchas ou danificadas. Para amenizar o amargor, um truque simples é cortar a parte inferior do broto antes do preparo. O talo branco, ou seja, a base do vegetal, é o que confere o sabor mais forte. Em receitas que requeiram o desfolhamento, recomenda-se que as folhas sejam retiradas individualmente, evitando danificá-las.

A endívia é mais comumente usada crua em saladas, temperada com molhos à base de azeite e vinagre, e enriquecida com nozes, castanhas e queijos como gorgonzola. Suas folhas côncavas podem ser recheadas e servidas de várias maneiras e têm um excelente efeito na apresentação dos pratos. O vegetal também pode ser cozido, assado ou refogado e usado como ingrediente em pratos como sopas, quiches e gratinados.

De baixa caloria e rica em cálcio, o vegetal também contém vitamina A, fibras, potássio e ferro, tornando seu consumo adequado àqueles que desejam manter uma dieta saudável.